TER, 26 JAN 16H // Webinar Histórias e Memórias de Mulheres de Cabo-Verde em Portugal

CONVITE para o webinar de apresentação do livro “Histórias e Memórias de Mulheres de Cabo-Verde em Portugal“, produto da edição de 2020 do Projecto Memória e Feminismos da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, financiado pela Pequena Subvenção da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Este realizar-se-á online, via plataforma Zoom na próxima 3.ª feira 2 de Janeiro às 16h.

Este livro resulta da recolha de testemunhos de vida emancipatórios de mulheres cabo-verdianas em Portugal, suas experiências, integração e sonhos.

A apresentação estará a cargo da Presidente da CIG, Dr.ª Sandra Ribeiro, contanto com a participação da coordenadora do projecto Memória e Feminismos, Teresa Sales. Também marcarão presença e intervirão algumas das mulheres de diferentes gerações com que o projeto trabalhou ao longo de meses.

Convidamos todas as pessoas interessadas a estarem connosco neste momento online!

Dados de acesso do Zoom: ID Zoom da reunião: 968 1977 4026 | Senha de acesso: 158296

Até 3.ª feira, 26 de Janeiro às 16h!

QUI, 21 JAN 18h // Mulheres e Música: Representatividade e Emancipação na Música Popular e Tradicional

Dando continuidade ao ciclo online sobre Mulheres e Música que o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) iniciou a 20 de Novembro de 2020, anunciamos a nossa próxima sessão desta 5.ª feira, 21 de Janeiro às 18h (hora PT) [19h na Galiza], sobre o papel das mulheres na música popular e tradicional – com foco em testemunhos e reflexão sobre a sua representatividade e experiências de emancipação.

Este evento é uma iniciativa conjunta do CCIF/UMAR e o CEG-Centro de Estudos Galegos da FCSH-UNL, com a colaboração do departamento de Estudos Galegos da Universidade Estadual do Rio de Janeiro- UERJ e da equipa do Modelo Burela da Galiza.

As nossas CONVIDADAS serão Margarida Silva e Teresa Rebelo, co-fundadoras do grupo vocal de mulheres CRAMOL de Oeiras; Mercedes Peón, folclorista, intérprete e compositora da Galiza; e Soraia Simões de Andrade, historiadora da música e pós-graduada em Estudos de Música Popular.

» CRAMOL – Grupo de Canto Tradicional de Mulheres fundado em 1979 em Oeiras/Portugal. Até hoje, o grupo, em que mais de metade das cantoras é da formação original, faz parte de uma associação ligada à Biblioteca Operária Oeirense.
Entrecruzando em canto, o sagrado e o profano, o ciclo da vida, da natureza e o religioso, o CRAMOL procura dar a conhecer o canto da mulher rural no seu quotidiano, um património imaterial ainda vivo, cujas polifonias tradicionais são das mais ricas da Europa. As representantes do CRAMOL nesta sessão serão MARGARIDA SILVA E TERESA REBELO.

» MERCEDES PÉON – nascida em 1967, iniciou o seu percurso na música com 13 anos, ao ouvir cantar algumas mulheres da Costa da Morte, Galiza. Após aprofundar na tradição durante mais de 25 anos e de transmitir todo este conhecimento por meio da docência nas escolas municipais, na Televisão da Galiza e nas Universidades da Sorbona, do Porto e de Gales, em 2000 gravou o seu primeiro disco Isué. Expressou-se livre de clichês e deu-se a conhecer através do circuito internacional sem qualquer tipo de esforço promocional. Em obras posteriores, Ajrú , 2004, Sihá de 2007 e Sós (2008), as suas composições transportaram-na a uma atmosfera particular na fronteira com a eletro-acústica, criando o seu selo próprio dentro e fora das fronteiras galegas. O último trabalho, Déixaas é o resultado de um intenso período de investigações sobre as possibilidades da arte do som, área em que é referente internacional.»

» SORAIA SIMÕES DE ANDRADE – é Historiadora da Música, pós-graduada em Estudos de Música Popular e mestre em História Contemporânea pela FCSH. É doutoranda em História na NOVA/FCSH e é investigadora integrada do centro História, Territórios e Comunidades (pólo na NOVA FCSH do CEF da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra). Fazem parte da sua investigação a história oral, a relação entre música e cultura com sociedade, memória e género. Dirige a Revista Mural Sonoro e a Associação Mural Sonoro. Realizou o documentário A Guitarra de Coimbra para a RTP2 (2019).

INSCRIÇÕES GRATUITAS PARA: centroculturafeminista@gmail.com

QUA, 2 DEZ 18h30 // Conversas Soltas: O Papel das Ex-Fanatecas na Prevenção e Combate à MGF

No âmbito do ciclo “Conversas Soltas” do Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIFUMAR) e do trabalho da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta desenvolvido ao longo de largos anos na área da Mutilação Genital Feminina (MGF) e do seu actual projecto “Intervenção Precoce em Igualdade” no concelho de Almada, anunciamos que a próxima sessão online será dedicada ao papel das ex-fanatecas na prevenção e combate à MGF.

Teremos como intervenientes: Alice Frade (P&D Factor); Eduardo Jaló (Associação dos Filhos e Amigos de Farim); Fatumata Djau Baldé (Comitê Nacional para o Abandono de Práticas Tradicionais Nefastas à Saúde da Mulher e Criança / Guiné-Bissau).

ALICE FRADE – Antropóloga e diretora executiva da P&D Factor – Associação para a Cooperação sobre População e Desenvolvimento, Alice Frade dedica-se a trabalhar em Advocacy e Cooperação para o Desenvolvimento há 14 anos. É autora e coautora de vários trabalhos nesta área, sobretudo nas temáticas da Educação, Saúde Sexual e Reprodutiva, População e Desenvolvimento e Direitos Humanos. Alice Frade é também consultora do programa “Príncipes do Nada”.

EDUARDO DJALÓ – Licenciado em Gestão e Administração Pública no ISCSP-UL. Presidente da Associação dos Filhos e Amigos de Farim desde 2014.

FATUMATA DJAU BALDÉ – É formada em Contabilidade e Mestre em Estudos legais pela ‘Atlantic International University. Activista de direitos humanos e dedicada na luta contra a prática de excisão feminina através da Organização Não Governamental – Comitê Nacional para o Abandono de Práticas Tradicionais Nefastas à Saúde da Mulher e Criança. Presidente do Comité e também membro da direcção executiva do Comité Inter Africano para Abandono das Práticas Tradicionais Nefastas à Saúde da Mulher e Criança.

Inscrições gratuitas para o e-mail: centroculturafeminista@gmail.com

Uma sessão a não perder!

Saudações feministas do CCIF/UMAR

SEX, 20 NOV 18H // Conversas Soltas: Mulheres na Música Galega e Portuguesa

No âmbito do ciclo do “Conversas Soltas” do Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIFUMAR) anunciamos a próxima sessão online para o dia 20 de Novembro às 18h, dedicada ao papel e contributo das mulheres na música galega e portuguesa.

Este evento do CCIF/UMAR conta também com a parceria da Academia Galega da Língua Portuguesa e da Associação Pró-Academia Galega da Língua Portuguesa.

As nossas convidadas serão as músicas e académicas Helena Marinho e Isabel Rei Samartim.

HELENA MARINHO – pianista, é Prof.ª associada no Departamento de Comunicação e Arte na Universidade de Aveiro e investigadora integrada do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos de Música e Dança. Os seus interesses de pesquisa centram-se nas áreas da investigação em performance, e história e práticas da música portuguesa dos séculos XX e XXI.

Liderou entre 2017 e 2019 um projecto de investigação sobre mulheres intérpretes e compositoras portuguesas, financiado pela FCT e fundos europeus.

Helena Marinho

Helena Marinho intervirá nesta sessão sobre a temática das mulheres portuguesas na música erudita – séculos XX e XXI. Pretenderá apresentar e discutir uma breve contextualização dos constrangimentos e acção das mulheres no campo da música erudita, partindo de dados históricos e linhas transversais que caracterizam este percurso criativo ao longo do séc. XX e até aos nossos dias.

ISABEL SAMARTIM – guitarrista, Doutora em História da Arte pela Universidade de Santiago de Compostela com a tese A guitarra na Galiza, que trata a história da guitarra galega desde o século XII ao XIX. É Prof.ª no Conservatório Profissional de Música de Santiago de Compostela (actividade que combina com recitais de divulgação das mulheres guitarristas galegas) integrando também o Departamento de Música da Universidade do Minho (Braga, Portugal). 

É fundadora e patroa da Academia Galega da Língua Portuguesa e membro da Associação Colóquios da Lusofonia e do Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa.

Isabel Rei Samartim

Isabel Samartim intervirá sobre as mulheres guitarristas galegas dentro do contexto das mulheres músicas na Galiza, quem são elas, como decorreram as suas carreiras artísticas, a sua relação com Portugal, e em que contribuíram para o desenvolvimento da música galega, focando especialmente o século XIX. Em relação a isto, e se for de interesse, poderão tratar-se brevemente outras mulheres músicas mais actuais que destacaram pelo seu compromisso social e político. Haverá indicação de vídeos e áudios.

INSCRIÇÕES GRATUITAS para o e-mail centroculturafeminista@gmail.com Após inscrição será enviado link de acesso. Evento aqui.

TER, 14 JUL 19H // Conversas Soltas: MGF em Tempos de Covid-19

Na próxima 3.ª feira, dia 14 de Julho às 19h (hora de Portugal Continental e Madeira), 18h (Açores e Guiné-Bissau) e 15h (Brasil) o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) no âmbito do seu ciclo semanal online “Conversas Soltas” realizará uma sessão sobre a situação da MGF – Mutilação Genital Feminina, em especial no contexto da Covid-19.

Para nos dar a conhecer melhor esta realidade e responder a questões, teremos connosco:
– Adama Baldé, CNAPN – Comité Nacional para o Abandono de Práticas Nefastas
– Alice Frade, P&D Factor – Cooperação sobre População e Desenvolvimento
– Eduardo Jaló, Associação dos Filhos e Amigos de Farim – AFAFC
– Lina Ramos, Associação dos Filhos e Amigos de Farim – AFAFC

 A moderação ficará a cargo de Janica Lopes e de Maria Amado, da UMAR. 

Inscrições (gratuitas) por mensagem privada na nossa página de facebook ou para o e-mail: centroculturafeminista@gmail.com

Será depois enviado às pessoas inscritas o link de participação, um pouco antes do início da sessão.

SEG, 18 Abril, 18h30 | Protecção e Direitos das Mulheres Trabalhadoras em Portugal 1880-1943

2.ª feira, 18 de Abril às 18h30 será apresentado no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) o livro recém-publicado de Virgínia Baptista Protecção e Direitos das Mulheres Trabalhadoras em Portugal 1880-1943 baseado na sua investigação de doutoramento sobre as políticas públicas destinadas à regulamentação do trabalho das mulheres e à protecção da maternidade.

A apresentação será feita por Anne Cova, historiadora e investigadora no ICS – Instituto de Ciências Sociais, com a presença da autora.

Virginia Baptista

Entrada Livre!

Saber mais na páginaevento no Facebook do CIIF/UMAR.

QUA, 15 de Outubro, 18h30 // Apresentação do livro “Mulheres contra a Ditadura” de Cecília Honório

Na próxima 4ª FEIRA, 15 de OUTUBRO pelas 18H30, terá lugar no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) a apresentação do livro “AS MULHERES CONTRA DITADURA” da historiadora e deputada CECÍLIA HONÓRIO, com a participação da autora.

É preciso dizer que estas mulheres existiram, contavam e correram imensos riscos – Cecília Honório.

Sinopse:
Este trabalho destina-se a dar visibilidade às raparigas do Movimento de Unidade Democrática Juvenil (MUDJ, 1946-1957), que arriscaram, estiveram presas, leram livros proibidos, recrutaram, discursaram, militaram nas campanhas, discutiram animadamente nos cafés, e desafiaram até a moral e os bons costumes do tempo, com a sociabilidade mista, que juntava raparigas e rapazes nos passeios no campo, nos piqueniques, ou cantando Lopes Graça. Vai à procura das que começaram a sua vida política no MUDJ e das muitas que passaram da luz à sombra, mesmo quando não desistiram de lutar contra a ditadura.

MulheresContraaDitadura

Partilhamos aqui a entrevista de Nuno Ramos da Almeida a Cecília Honório publicada no Jornal I a 29/09/2014:
http://www.ionline.pt/artigos/liv/ceclia-honrio-preciso-dizer-estas-mulheres-existiram-contava

Contamos com a tua presença no dia 15 de Outubro às 18h30 no CCIF/UMAR!