Programação do CCIF/UMAR em Maio!

Neste mês de Maio o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) está com uma programação de arromba! Programa completo, infra:

programação ccif maio 2019

Além da parceria com o Festival Feminista de Lisboa (dias 5, 18, 19 e 31) , temos também nos dias 8 e 9 de Maio o “Ciclo de Resistência Cultural Galego-Portuguesa. A Cultura é uma Arma”. Serão dois dias de programação conjunta com o Centro de Estudos Galegos da FCSH-UNL, UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, Associação José Afonso, Cravo, FCSH-UNL, Academia Galega da Língua Portuguesa, Xunta de Galicia.

Ciclo de Resistência cultural galego-portuguesa

CICLO DE RESISTÊNCIA CULTURAL GALEGO-PORTUGUESA

Neste início de Maio, paramos para repensar, reflectir e discutir a expressão cultural como forma de Resistência no âmbito político e social Português e Galego. Partindo do mote que assume «A Cultura é uma Arma» projecta-se dois momentos distintos – uma Conferência e uma Festa.

CONFERÊNCIA «A Cultura é uma Arma» | Dia 8 de Maio 16h-20h
FCSH-UNL (Avenida de Berna 26C, Lisboa) Sala Multiusos 2 – Edifício ID

16H. JOSÉ MÁRIO BRANCO
‘’A Música como Arma de Transformação Social e Cultural’’ – a música de Intervenção, como mote para uma transformação e reflexão social no espaço cultural Português.

17H. REGUEIFA – ALBA MARIA E QUECO DIAZ
”Oficina de regueifa e improvisação oral: música popular para educar no feminismo”. Dois músicos Galegos que promovem a transformação da Música Tradicional Galega em Música Feminista. Os dois músicos organizarão uma breve oficina musical durante a conferência.

18H. FESTIVAL AGROQUEER
“Festival Agroqueer da Ulhoa”. Festival Cultural Galego que promove a discussão das temáticas LGBT em espaços rurais. A organização do Festival estará presente na conferência através da figura de Gina Gisbert, que procurará abordar a estrutura e organização do Festival, assim como, pensar a adaptação de temáticas progressistas – como os Direitos LGBT – a espaços, tradicionalmente, fechados e conservadores, como as aldeias interiores rurais.

19H. DANIEL AMARELO
”Fazes o teu próprio mundo tolerante”. Galego, a viver em Lisboa, irá abordar as práticas linguísticas e identidades sexuais não heteronormativas na Galiza contemporânea.

Entrada livre para todos os eventos 🙂

Saudações feministas do CCIF/UMAR

Anúncios

QUI, 21 Fev, 18h // Lançamento do livro “Seminário Múltiplas Discriminações”

Na próxima 5.ª feira, 21 de Fevereiro pelas 18h00 a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta lançará em Lisboa, no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR), a publicação “Seminário Múltiplas Discriminações”.

Este livro reúne textos escritos por activistas, representantes associativas e investigadoras/es na área das múltiplas discriminações e interseccionalidades, recolhidos no decurso do projecto da UMAR, Memória e Feminismos: Múltiplas Discriminações, desenvolvido em 2018.

A apresentação estará a cargo da Presidente da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Teresa Fragoso, entidade que financia este projecto.

Apresentação Livro Múltiplas Discriminações 21022019

Entrada livre!

QUA, 1 Agosto, 19h00 // Pré-Lançamento em Portugal do documentário brasileiro PRIVILÉGIOS

Iniciaremos o mês de Agosto no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) com a estreia nacional do documentário brasileiro “Privilégios” que aborda questões relevantes sobre os privilégios existentes na sociedade e traz uma chamada para a reflexão de temas que abrangem as relações vinculadas às dinâmicas de género, raça e classe.

Seguir-se-á um debate com a participação da realizadora Rosa Miranda.

Privilégios 01082018

Entrada livre.

Evento, aqui.

SÁB, 23 de Junho // Seminário Final Múltiplas Discriminações

 

No próximo Sábado, 23 de Junho pelas 14h30, realizar-se-á no Centro de Cultura em Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, o Seminário Final “Múltiplas Discriminações” da V Edição do Projecto Memória e Feminismos da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta.

No âmbito deste nosso projeto, foram dinamizadas ao longo do primeiro semestre de 2018, tertúlias sobre as problemáticas das múltiplas discriminações que muitas mulheres enfrentam, nomeadamente as relativas à sua orientação sexual, identidade de género, condição socioeconómica, origem étnica, país de origem e/ou identidade cultural.

Seminário Final Múltiplas Discriminações

Este evento contará com a participação da Sra. Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro e da Presidente da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Teresa Fragoso.

Evento, aqui.

PROGRAMA
14,30 – 15,30 SESSÃO DE ABERTURA

Maria José Magalhães, Presidente da UMAR
Teresa Sales, Coordenadora do Projeto Memória e Feminismos – Múltiplas Discriminações
Rosa Monteiro, Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade

15,30 -16,30 1º PAINEL INTERSECCIONALIDADES

– Liliana Rodrigues, (Professora Adjunta do ISAVE Instituto Superior de Saúde e Investigadora do Centro de Psicologia do Porto, CPUP)
– Manuel Carlos Silva, (Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais, Universidade do Minho – CICS.Nova UMinho)
– Maria José Magalhães, (Professora na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da UPorto)
Moderação: Manuela Tavares (CIEG/ISCPS-ULisboa, UMAR)

16,30 – 17 – Coffee-Break

17h – 18,00h 2º PAINEL – TESTEMUNHOS (Lésbicas e Trans, Imigrantes, Ciganas e Trabalhadoras do Sexo)
– Alexa Santos
– Cyntia de Paula
– Sónia Matos e Cláudia Vieira
– Fátima de Souza
Moderação: Teresa Sales

18h SESSÃO DE ENCERRAMENTO
– Joana Sales, Dirigente da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta
– Teresa Fragoso, Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género

SÁB, 24 Março, 15h00 // Sessão Múltiplas Discriminações: Mulheres Ciganas

Mulheres Ciganas é o tema da terceira sessão do ciclo Múltiplas Discriminações que o Projecto Memória e Feminismos da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta está a organizar ao longo de 2018 no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Alcântara, Lisboa.

Esta tertúlia decorrerá no Sábado, 24 de Março às 15h00 e contará com a participação de três activistas ciganas, de duas das principais associações de mulheres ciganas no país: a AMUCIP e o recente Centro ROMI.

Mulheres Ciganas 24032018

O que significa ser hoje uma mulher cigana em Portugal? Haverá diferenças na percepção do racismo, discriminação e oportunidades nestas mulheres? Será o tratamento recebido semelhante? O que falta (ou não) conquistar? Estas e outras questões relativas às identidades e direitos serão certamente abordadas neste espaço.

Entrada livre. Evento, aqui.

SEG, 2 NOV, 18h30 // Lançamento do Livro “Que os Outros Sejam o Normal” de Leandro Colling

Na próxima 2.ª feira, 2 de Novembro pelas 18h30, decorrerá no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, por iniciativa da Linha de Investigação Género, Sexualidades e Interseccionalidade, o lançamento da obra “Que os outros sejam o normal – tensões entre o movimento LGBT e o ativismo queer (Argentina, Chile, Portugal, Estado Espanhol)” da autoria do investigador brasileiro Leandro Colling da Universidade Federal da Bahia.

Esta obra resulta de 35 entrevistas feitas com ativistas queer em países europeus e sul-americanos de histórias e culturas semelhantes, o título investiga grupos e organizações pró-LGBT e suas acções. Dividido em três partes (Flertes, Transas e O Cigarro), o autor narra a história de sua aproximação com estes grupos e organizações e os analisa criticamente para fazer uma reflexão geral sobre o que estas entidades o ensinaram e o que podem ensinar umas às outras.

Para além da intervenção do autor, Leandro Colling, o lançamento conta com as intervenções de Sérgio Vitorino (Panteras Rosa) e de João Manuel de Oliveira (ISCTE-IUL).

Teremos muito prazer em contar convosco!

Sessão CCIF 02NOV

QUI, 15 Maio 19h00 // Sessão Heróis [inas] ou Activistas?

O Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) acolherá na quinta-feira dia 15 de Maio 2014 pelas 19h00, uma sessão com a escritora e feminista galega María Reimóndez sobre activismos, cooperação, crítica feminista e interseccionalidade. Com o intuito de rever criticamente o paradigma do herói, patriarcal e que, no fundo, não quer mudar nada, María Reimóndez desenvolverá várias das ideias abordadas no seu último livro “A alternativa está aquí” Xerais (2014).

A autora propõe uma nova concepção do activismo baseada nos feminismos pós-coloniais e desenvolve uma linha de intervenção crítica feminista para a cooperação internacional e para a transformação social.

O Centro de Cultura e Intervenção Feminista CCIF/UMAR adere a esta iniciativa promovida pelo Centro de Estudos Galegos Lisboa da FCSH-UNL, com o apoio da XUNTA DE GALICIA e da Asociación de Escritores/as en Lingua Galega. ENTRADA LIVRE!

María Reimondez 15Maio