CCIF/UMAR Fora de Portas // Seminário Final do Projecto da UMAR, Múltiplas Discriminações II

Convite para o Seminário Final do projecto Memória e Feminismos: Múltiplas Discriminações II, desenvolvido pela UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta com o apoio da pequena subvenção da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género e que se realizará no Sábado, 6 de Julho, na Junta de Freguesia de Alcântara, em Lisboa.

Neste seminário final serão debatidas numa perspectiva feminista interseccional as 4 grandes problemáticas tratadas por este projecto no decurso de 2019 (Mulheres Negras e Afrodescendentes; Mulheres do Interior; Trabalhadoras Domésticas e da Limpeza e Mulheres com Deficiência) contando com a intervenção de investigadoras/es, técnicas e activistas nestas causas. A não perder!

final

::::::::::::PROGRAMA:::::::::::

10h30: SESSÃO DE ABERTURA
– TERESA SALES (Coordenadora do projecto)
– MANUELA RALHA (Vereadora da Cultura de Vila Franca de Xira)
– MARIA JOSÉ MAGALHÃES (Presidente da UMAR)
– ROSA MONTEIRO (SECI – Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade)

11h15: PAINEL I – MULHERES NEGRAS E AFRODESCENDENTES
– ANA PAULA COSTA (Plataforma GENI)
– LÚCIA FURTADO (FEMAFRO)
– MYRIAM TAYLOR (Muxima)
– JOANA SALES (moderação)

14H00: PAINEL II -MULHERES DO INTERIOR
– ADRIANA GOMES (São Pedro do Sul)
– ANA MARGARIDA PAIVA (Pitões das Júnias)
– LÚCIA JORGE (Pitões das Júnias)
– MANUELA TAVARES (Investigadora CIEG/ISCSP-UL)
– CRISTINA BANDEIRA (moderação)

15h00: PAINEL III – TRABALHADORAS DOMÉSTICAS E DA LIMPEZA
– INÊS BRASÃO (investigadora IHC/FSCH-UNL)
– MANUEL ABRANTES (Sociólogo)
– MARGARIDA COELHO (testemunho)
– TERESA SALES (moderação)

16h15: PAINEL IV – MULHERES COM DEFICIÊNCIA
– HELENA ALVES (INR)
– LIA FERREIRA (Arquitecta)
– PATRÌCIA SANTOS (INR)
– PAULA PINTO (Investigadora ISCSP-UL)
– OLÍMPIA PINTO (moderação)

17h10: CONCLUSÕES E ENCERRAMENTO

*A Junta de Freguesia de Alcântara tem acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
** Entrada livre

Anúncios

SÁB, 2 MAR, 14h30 // Múltiplas Discriminações: Mulheres Negras e Afrodescendentes

No próximo Sábado, 2 de Março às 14h30, organizaremos a sessão Mulheres Negras e Afrodescendentes no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) com as activistas feministas negras: Joacine Katar Moreira, Lúcia Furtado, Maria Fernandes e Shenia Karlsson. Moderação por Maria Dovigo da UMAR.

MÚltiplas discriminações_mulheres negras

Esta sessão decorre no âmbito do projecto da UMAR “Memória e Feminismos: Múltiplas Discriminações II” com o apoio da pequena subvenção da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Entrada livre.

SEG, 9 Abril 19h00 // Feminismos Anti-Coloniais no CCIF/UMAR

HOJE, 9 de ABRIL no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR)!

Sessão sobre FEMINISMO ANTI-COLONIAL na Semana do Apartheid Israelita 2018 em Portugal, com activista palestiniana Shahd Wadi e Âurea Mouzinho do colectivo Feminista Ondjango, de Angola. IMPERDÍVEL!

Este painel visa discutir o feminismo anti-colonial, necessário para combater o machismo e o racismo em nossa sociedade atual. O foco da discussão será a luta proveniente de mulheres com origem palestiniana e angolana, unidas por um feminismo interseccional!feminismo anti-colonial na UMAR

Vídeo com imagens captadas por um drone que ilustram o massacre de Março de 2018, junto à fronteira de Israel-Gaza.

Evento, aqui. Entrada livre!

O CCIF/UMAR fora de portas! Nos próximos dias 6, 7 e 8 de Abril em Santiago de Compostela, Galiza!

Pelo segundo ano consecutivo, o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR),  através da nossa associação, a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, participa na organização dos Encontros Itinerantes de Mulheres da Lusofonia. Mulheres, Territórios e Memórias. Em 2017, o I Encontro de Mulheres da Lusofonia decorreu em Vilar de Santos, concelho de Ourense (Galiza) e este ano será em Santiago de Compostela, também na Galiza.

II ENCONTRO MULHERES DA LUSOFONIA (1).jpg

As entidades organizadoras do II Encontro de Mulheres da Lusofonia: Mulheres, territórios e memórias são a Academia Galega da Língua Portuguesa, a Associação Pró-AGLP, e a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta. O encontro visa criar uma rede plural feminista de mulheres do espaço lusófono, potenciando um entrecruzamento de diálogos, de experiências e de conhecimento.

O II Encontro Mulheres da Lusofonia conta com o apoio da

  • Comissão Temática de Promoção e Difusão da Língua Portuguesa dos Observadores Consultivos da CPLP
  • Concelho de Santiago de Compostela
  • Livraria Lila de Lilith – Santiago de Compostela
  • Museu do Aljube. Resistência e Liberdade – Lisboa
  • Projeto Cárcere – Corunha/Galiza
  • Marcha Mundial das Mulheres-Galiza
  • Plataforma Feminista Galega
  • Ondjango Feminista – Angola
  • Fórum Mulher – Moçambique

O programa (infra) reflete o carácter feminista, anticolonial e internacionalista destes encontros de mulheres dos países de expressão portuguesa.

A entrada é livre, sujeita a inscrição (gratuita) para mulhereslusofonia@gmail.com

PROGRAMA:

Programa II Encontro_ final

A UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta participará no painel Entre o Ativismo e a Pesquisa. Mulheres na Resistência (com a participação do nosso projeto Memória e Feminismos e no painel Feminismos no Espaço Lusófono. Estará ainda nas mesas de abertura e de encerramento.

Mais informação em: http://www.facebook.com/mulheresdalusofonia

Contamos convosco e/ou com a vossa divulgação! Obrigada!

 

Dom, 9 Março 15h // Lutar contra os estereótipos raciais

Este Domingo, o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) receberá a palestra/diálogo “Lutar contra os estereótipos raciais: descolonizar a mente e consciência negra” num momento em que se vê como imperioso discutir o racismo num contexto de consciência negra em Portugal.

Vários temas serão abordados e debatidos como: conceito de raça e eurocentrismo; estereótipos raciais da/o africana/o; consequências da manutenção de estereótipos raciais em termos de desigualdades sociais; poder visual para ensinar a ordem racial e manter estruturas de poder intactas.

A oradora Elisabete Cátia Suzana é uma feminista negra baseada em Estocolmo, Suécia. É presidente da SAFE,  forum feminista negro da Suécia. Actualmente trabalha na universidade de Uppsala (Suécia).

O seu trabalho insere-se nos estudos críticos de raça e estudos críticos da branquitude (critical whiteness studies) sempre sob uma perspectiva interseccional.

 
feminismo negro