Dias 8 e 9 de Maio // CICLO DE RESISTÊNCIA CULTURAL GALEGO-PORTUGUESA

Nos dias 8 e 9 de Maio, o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) estará fora de portas com o Ciclo de Resistência Cultural Galego-Portuguesa, uma parceria da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta com o Centro de Estudos Galegos da FCSH-UNL, a Associação José Afonso Galiza, o Colectivo  Cravo, a FCSH-UNL – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, a Academia Galega da Língua Portuguesa e a Xunta de Galicia.

CICLO DE RESISTÊNCIA CULTURAL GALEGO-PORTUGUESA

Dia 8 de Maio 16h-20h

CONFERÊNCIA «A Cultura é uma Arma»

FCSH-UNL – Avenida de Berna 26C, Lisboa. Sala Multiusos 2 – Edifício ID

 

agroqueer

16H. JOSÉ MÁRIO BRANCO
‘’A Música como Arma de Transformação Social e Cultural’’ – a música de Intervenção, como mote para uma transformação e reflexão social no espaço cultural Português.

17H. REGUEIFA – ALBA MARIA E QUECO DIAZ
”Oficina de regueifa e improvisação oral: música popular para educar no feminismo”. Dois músicos Galegos que promovem a transformação da Música Tradicional Galega em Música Feminista. Os dois músicos organizarão uma breve oficina musical durante a conferência.

18H. FESTIVAL AGROQUEER
“Festival Agroqueer da Ulhoa”. Festival Cultural Galego que promove a discussão das temáticas LGBT em espaços rurais. A organização do Festival estará presente na conferência através da figura de Gina Gisbert, que procurará abordar a estrutura e organização do Festival, assim como, pensar a adaptação de temáticas progressistas – como os Direitos LGBT – a espaços, tradicionalmente, fechados e conservadores, como as aldeias interiores rurais.

19H. DANIEL AMARELO
”Fazes o teu próprio mundo tolerante”. Galego, a viver em Lisboa, irá abordar as práticas linguísticas e identidades sexuais não heteronormativas na Galiza contemporânea.

 

Dia 9 de Maio, 21h30

Galiza na Lisa: NOITE AGROQUEER

Crew Hassan, R. Andrade 8A, Anjos – Lisboa

 

noite agroqueer 09052019

PERFORMANCE NELU VERMOUTH
Performer e cantor, pretende expor nas suas performances a crueldade artística que existe detrás da própia liberdade, dos estereótipos e da expressão como forma comunicativa livre de juízo, tentando criar sempre um contexto de terapia grupal no espaço do aqui e do agora. “Para ser perdoada, para ser amada, para ser livre” ~ Sarah Kane

BEJAFLOR
Bejaflor é uma pequena criatura que habita a floresta do pop português, onde pulsam ritmos quebrados com vozes e harmonias sintetizadas no quarto de um jovem produtor independente, José Mendes. No fresquíssimo álbum homónimo de estreia, Bejaflor apresenta um conjunto de canções da sua intimidade com a vibe pop dos 80’s, em andamento electrónico e influências hip-hop, modernas e sofisticadas.

MOUNQUP
Camille Hédouin é o nome por detrás da artista franco-galega MounQup. Nascida em França, mas adotando a Galiza como residência, desde os 15 anos que usa a sua voz para composição de temas Jazz, Eletrónica e Folk. A criação de texturas, sombras e cores, resultam numa paisagem sónica e surreal característica da Artista. A composição dos temas torna-se particular quando assumem o meio em que são produtivos – a zona montanhosa Galega de A Bola.

Entrada livre para todos os 2 dias de eventos! 🙂

Ver mais, aqui.

 

Anúncios

DOM, 28 OUT 16h00 // Festa Feminista da UMAR!!!

No próximo Domingo, 28 de Outubro a partir das 16h no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa teremos uma festa feminista por ocasião do 7.º aniversário do CCIF/UMAR.
 
Será um momento único, de convívio e que contará com as actuações da cantora KHIRA, da coreógrafa e bailarina de dança oriental Nuish Bellaluna e da actriz Nina Rocha.
 
Música, dança, teatro e outras surpresas para este final de tarde especial.
Festa Feminista
Evento, aqui.
Saber mais sobre estas artistas:
Entrada livre.

QUI, 21 JUN 20h00 // Artes e Feminismos com a bailarina Mariana Lemos

Na 5.ª feira, 21 de Junho pelas 20h00 estará no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) a bailarina Mariana Lemos, numa tertúlia do ciclo “Artes e Feminismos” moderada por Sofia Roque.

Mariana Lemos JPEG
MARIANA LEMOS:
Artista da dança, bailarina, produtora, professora e criadora com experiência de trabalho regular entre Brasil e Portugal há mais de 15 anos. Em 2018 é orientadora da formação internacional o “Risco da dança” (do c.e.m -centro em movimento) ao lado de Sofia Neuparth e Peter Michael Dietz. Em 2016 é co-criadora do Coletivo Lagoa. Recentemente foi bolsista da FCG- Fundação Calouste Gulbenkian no Curso de Comunicação das Artes do Corpo, na PUC/SP/Brasil sob orientação de Christine Greiner (2013/14). É Mestre em Metodologias do ensino da Dança pela ESD – Escola Superior de Dança de Lisboa (2011). Licenciada em Dança pela UNICAMP/ Brasil (2002) onde trabalhou com Holly Cavrel e a Cia Domínio Público (2002-2004). Destaca no seu percurso de vida o Projeto Ir, junto de mulheres em contexto de prostituição de rua em Lisboa (entre 2005/2012). Desde 2004 faz parte da equipa de fundo do c.e.m e destaca a orientação permanente e o acompanhamento por parte de Sofia Neuparth, com quem vem estudando e criando desde a chegada em Portugal.

SOFIA ROQUE:
Membro do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa e doutoranda em Filosofia Política na Faculdade de Letras da UL. Licenciou-se em Filosofia pela FLUL, em 2007. Obteve o grau de Mestre em Filosofia Política, pela mesma instituição, em 2012, com uma dissertação de mestrado intitulada «Política e Modernidade. Crítica da tradição do pensamento político em A Promessa da Política de Hannah Arendt». Actualmente, prossegue o seu trabalho de investigação em torno do pensamento de Hannah Arendt, em particular sobre os temas relacionados com a sua teoria do juízo político. A par da sua actividade como investigadora, é também activista política em movimentos sociais feministas e de combate à precariedade laboral.

Entrada livre. Para mais informações, ver evento.

SÁB, 4 OUT 15h00-20h00 // 3º Aniversário do CCIF/UMAR

Sábado 4 de Outubro, no âmbito do 3º aniversário do Centro de Cultura e Intervenção Feminista, será exibido às 19H00 o filme “EU DECIDO. O TREM DA LIBERDADE” realizado por um colectivo de mulheres cineastas contra a reforma da lei do aborto em Espanha.

Segue o programa do 3º aniversário do CCIF/UMAR com a calendarização de cada actividade. A abertura será às 15h e o programa, para as/os mais entusiastas, terminará já de noite, em modo de jantar e de convívio.

Apareçam!

CCIF aniversárioVF