TER, 16 de Maio, 18h30 // Exibição do Documentário #Resistência

Na semana em que o afastamento de Dilma Rousseff completa um ano, a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta e a Universidade Feminista organizam uma sessão de exibição no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, Alcântara, do recém-lançado documentário brasileiro #Resistência, na próxima 3.ª feira, 16 de Maio às 18h30.

O filme, de 55 minutos, conta a história das ocupações político-culturais que ocorreram em todo país, imediatamente após a votação ocorrida na Câmara dos Deputados, que consagrou o golpe de Estado de 2016 com a votação que ditou o afastamento da primeira mulher eleita presidenta do Brasil, Dilma Rousseff.

#Resistência seguiu durante meses as manifestações e os movimentos de ocupação de edifícios públicos pela exigência de direitos constitucionais (como cultura, educação, igualdade de género e democratização dos media) de resposta a este processo do golpe, que culminou com o impeachment de Dilma Rousseff e seu vice, Michel Temer, tomando posse como presidenta do Brasil.

Entrada livre.

Evento: Exibição do Filme #Resistência no CCIF/UMAR

#ForaTemer #FeministasContraoGolpe

 

Anúncios

QUI, 28 JAN 18h30 // Apresentação do Livro “Mariana Coelho: uma educadora feminista luso-brasileira”

Na próxima 5.ª feira, 28 de Janeiro às 18h30, será apresentado no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, Alcântara, o livro de Aires Antunes Diniz “Mariana Coelho, uma educadora feminista luso-brasileira”.

A sessão contará com a participação do autor (professor, co-fundador do Sindicato dos Professores da Guarda e investigador em História da Educação), bem como de Joana Sales (direcção da UMAR) e de Manuela Góis (professora feminista, pós-graduada em Ciências da Educação).

Sessão Mariana Coelho CCIF 28JAN2016

Entrada livre. Contamos com a tua presença e/ou divulgação!

 

QUA, 24 Setembro 19h00 // O Amor é um Animal de Duas Costas: Assimetria e Violência na Relação Masculino X Feminino

Esta sessão busca uma reflexão sobre a relação entre Masculino x Feminino, colocando em perspectiva dados estatísticos sobre a violência contra as mulheres no Brasil em analogia com o destino trágico feminino presentes no Teatro, Cinema e Artes Plásticas.

O convidado desta palestra, Alexandre Caetano, é actor, dramaturgo, encenador e coordenador do curso de teatro do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio em São Paulo, Brasil.

AlexandreCaetano
Contamos convosco no dia 24 às 19h00 no Centro de Cultura e Intervenção Feminista!
Como habitualmente, a entrada é livre.

ATENÇÃO: O evento previsto para dia 25 de Setembro, “Apresentação final do projecto Laboratório de Género” foi adiado. Obrigada pela compreensão.

TER, 23 Setembro, 18h00 // Violência d(e) Gênero na Literatura Brasileira

A oradora convidada da sessão “Violência (d)e Gênero na Literatura Brasileira” a realizar no Centro de Cultura e Intervenção e Intervenção Feminista na próxima 3ª feira, 23 de Setembro pelas 18h00 é Constância Lima Duarte, pesquisadora do CNPq e Prof.ª de Literatura Brasileira na Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais.

A temática a abordar será a violência (d)e género na literatura brasileira, com enfoque na literatura afro-brasileira e na obra da escritora Conceição Evaristo.

Conceição Evaristo, afro-brasileira, nascida em 1940 numa favela de Belo Horizonte é actualmente uma activista, académica e escritora com obras traduzidas em vários idiomas, embora ainda seja pouco conhecida pelo grande público. Os seus livros, em especial o romance Ponciá Vicêncio, de 2003, abordam temas como a discriminação racial, de género e de classe.

ConceicaoEvaristoLegenda da fotografia: Escritora Conceição Evaristo, 2ª a contar da esq.; Prof.ª Constância Lima Duarte, 4ª a contar da esq.

Artigo sobre Conceição Evaristo:
http://blogueirasfeministas.com/2011/11/conceicao-evaristo/

Textos seleccionados pela UFMG: http://www.letras.ufmg.br/literafro/data1/autores/43/textosselecionados.pdf

Contamos com a vossa inestimável presença!

Organização do evento: CCIF/UMAR e CLEPUL – Centro de Culturas e Literaturas Lusófonas e Europeias da Universidade de Lisboa.

Programação Cultural de Setembro 2014 do CCIF/UMAR

O verão está a terminar e o Centro de Cultura e IntervençãoFeminista está em pleno dinamismo. Partilhamos contigo a programação de Setembro 2014, que inclui a participação de convidado/as estrangeiros (Argentina, Brasil e França) em volta dos temas da violência de género (nas suas várias vertentes) e literatura feminina afro-brasileira.

O nosso espaço fica em Lisboa (Alcântara), é gerido pela UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta estando aberto de 2ª a 6ª feira das 10h às 18h e durante as actividades programadas. Dispomos também de um Centro de Documentação e Arquivo Feminista, com um acervo único para consulta gratuita.

Contamos com a tua presença!

Saudações feministas do CCIF/UMAR

CCIF-UMAR SETEMBRO 2014

Hoje e amanhã no CCIF/UMAR…

Lembramos que hoje (21 de Maio 18h30) e amanhã (22 de Maio 18h30), o Centro de Cultura e Intervenção Feminista CCIF/UMAR (Lisboa, Alcântara) receberá duas actividades imperdíveis!

4ª FEIRA, 21 de Maio, 18h30 // “A dominação pelo trabalho em espaço privado: diálogo com memórias de vida”

3ª sessão do 5º ciclo da Universidade Feminista, com as comunicações de:
– INÊS BRASÃO: doutorada em sociologia, propõe falar “da dominação pelo trabalho em espaço privado: diálogo com memórias de vida”
– MANUEL ABRANTES: está a concluir o doutoramento em sociologia económica e das organizações e articula “trabalho doméstico e feminismo: contributos de uma pesquisa empírica na área de Lisboa”.

inscrições para: universidadefeminista@gmail.com

inscrições para universidadefeminista@gmail.com

5ª FEIRA, 22 de Maio, 18h30 // Exibição do filme “Que bom te ter viva” de Lúcia Murat e debate com Heliana Bibas e Sílvia Montarroyos // … Para não esquecer a luta das mulheres contra a ditadura militar no Brasil

mulheres contra ditadura brasil

No âmbito do 50º aniversário do golpe militar no Brasil de 1964, o Centro de Cultura e Intervenção Feminista pretende assinalar e reforçar o papel das mulheres brasileiras na luta contra a ditadura militar, exibindo o premiado filme “QUE BOM TE TER VIVA” (1989), de Lúcia Murat, seguindo-se um debate com as ex-resistentes HELIANA BIBAS e SÍLVIA MONTARROYOS.

Esta iniciativa à qual a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta e o Centro de Cultura e Intervenção Feminista CCIF/UMAR se juntam, integra-se na programação «Para não esquecer 1964 e a ditadura militar brasileira», organizada pelo CLEPUL-FLUL e a Casa do Brasil de Lisboa.

convite 22 Maio

QUI, 22 Maio, 18h30 // Cine-debate com exibição do filme “Que bom te ter viva” de Lúcia Murat

No âmbito do 50º aniversário do golpe militar no Brasil de 1964, o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) vem assinalar e reforçar o papel das mulheres brasileiras na luta contra a ditadura militar, exibindo, na próxima 5ª feira, 22 de Maio às 18H30, o premiado filme “QUE BOM TE TER VIVA” (1989), de Lúcia Murat.

Seguir-se-á um debate com as ex-resistentes Heliana Bibas e Sílvia Montearroyos.

Esta iniciativa à qual a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta e o Centro de Cultura e Intervenção Feminista CCIF/UMAR aderem, integra-se na programação «Para não esquecer 1964 e a ditadura militar brasileira», organizada pelo CLEPUL da Universidade de Lisboa e a Casa do Brasil de Lisboa.

ENTRADA LIVRE!

Cilque na imagem para AUMENTAR
Cilque na imagem para AUMENTAR