Programação do CCIF/UMAR em Maio!

Neste mês de Maio o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) está com uma programação de arromba! Programa completo, infra:

programação ccif maio 2019

Além da parceria com o Festival Feminista de Lisboa (dias 5, 18, 19 e 31) , temos também nos dias 8 e 9 de Maio o “Ciclo de Resistência Cultural Galego-Portuguesa. A Cultura é uma Arma”. Serão dois dias de programação conjunta com o Centro de Estudos Galegos da FCSH-UNL, UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, Associação José Afonso, Cravo, FCSH-UNL, Academia Galega da Língua Portuguesa, Xunta de Galicia.

Ciclo de Resistência cultural galego-portuguesa

CICLO DE RESISTÊNCIA CULTURAL GALEGO-PORTUGUESA

Neste início de Maio, paramos para repensar, reflectir e discutir a expressão cultural como forma de Resistência no âmbito político e social Português e Galego. Partindo do mote que assume «A Cultura é uma Arma» projecta-se dois momentos distintos – uma Conferência e uma Festa.

CONFERÊNCIA «A Cultura é uma Arma» | Dia 8 de Maio 16h-20h
FCSH-UNL (Avenida de Berna 26C, Lisboa) Sala Multiusos 2 – Edifício ID

16H. JOSÉ MÁRIO BRANCO
‘’A Música como Arma de Transformação Social e Cultural’’ – a música de Intervenção, como mote para uma transformação e reflexão social no espaço cultural Português.

17H. REGUEIFA – ALBA MARIA E QUECO DIAZ
”Oficina de regueifa e improvisação oral: música popular para educar no feminismo”. Dois músicos Galegos que promovem a transformação da Música Tradicional Galega em Música Feminista. Os dois músicos organizarão uma breve oficina musical durante a conferência.

18H. FESTIVAL AGROQUEER
“Festival Agroqueer da Ulhoa”. Festival Cultural Galego que promove a discussão das temáticas LGBT em espaços rurais. A organização do Festival estará presente na conferência através da figura de Gina Gisbert, que procurará abordar a estrutura e organização do Festival, assim como, pensar a adaptação de temáticas progressistas – como os Direitos LGBT – a espaços, tradicionalmente, fechados e conservadores, como as aldeias interiores rurais.

19H. DANIEL AMARELO
”Fazes o teu próprio mundo tolerante”. Galego, a viver em Lisboa, irá abordar as práticas linguísticas e identidades sexuais não heteronormativas na Galiza contemporânea.

Entrada livre para todos os eventos 🙂

Saudações feministas do CCIF/UMAR

Anúncios

DOM, 5 Maio 11h00 // Sexualidade em Movimento – Pompoarismo

No próximo Domingo, 5 de Maio, entre as 11h00 e as 12h30, o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) acolhe Workshop   “Sexualidade em Movimento – Pompoarismo”, uma iniciativa do Festival Feminista de Lisboa.

image

O workshop “Sexualidade em Movimento pompoarismo” de Monica Rocha traz ao CCIF/UMAR práticas e conversa sobre Pompoarismo – exercícios para fortalecer a musculatura do períneo, uma ginástica Íntima que nasceu no Oriente até chegar no Ocidente, indicada para todas as pessoas com vagina.

É uma prática que melhora autoestima, oferece liberdade, autonomia, proporciona autoconhecimento. Indicado para prevenir e tratar incontinência urinária, baixa da libido, ressecamento vaginal, queda de útero, bexiga, evitar cirurgia de períneo, melhora o prazer sexual e a mulher se sente mais segura com mais autonomia do seu corpo. 

https://www.youtube.com/watch?v=zYyDYKgwVlE&t=166s
https://www.instagram.com/menopausapompoarismo
https://www.facebook.com/territoriopompoarismo/

O CCIF/UMAR dá as muito boas-vindas ao Festival Feminista de Lisboa 2019!

O próximo mês de Maio será de arromba no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) com uma programação muito intensa e diversificada!

À semelhança do ano passado, onde o CCIF/UMAR acolheu um workshop no âmbito do 1.ª Festival Feminista de Lisboa, este ano, no âmbito de uma fantástica parceria, acolheremos cinco iniciativas do 2.ª Festival Feminista de Lisboa que decorrerá durante o mês de Maio subordinado ao tema “Feminismos: a luta no quotidiano”.

Parceria CCIF_UMAR e Festival Feminista de Lisboa 2.ª Edição-1

Actividades conjuntas do Festival Feminista de Lisboa, Maio de 2019, no CCIF/UMAR:

Mais informações no decorrer do próximo mês e/ou consulta-nos no nosso facebook  da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta.

Entrada gratuita para todas as actividades.

SEG, 22 ABR 18h // Bauhaus: as mulheres que ficaram esquecidas

No mês em que se comemora o centenário da fundação da lendária Bauhaus em Weimar, a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta pretende assinalar este marco sob a lente feminista, com a sessão “Bauhaus: as mulheres que ficaram esquecidas” no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR).

Esta sessão versará sobre as mulheres que ficaram esquecidas, apesar dos seus contributos de vanguarda que influenciaram a arte no século XX.

Apresentação por Teresa Sales, licenciada em história da arte e coordenadora de projectos na UMAR na área da memória feminista.

T Lux Feininger Bauhaus-Archiv Berlin. Estate of T Lux Feininger(Foto: T Lux Feininger Bauhaus-Archiv Berlin/ Copyright: Estate of T Lux Feininger)

Na foto supra, as mulheres da oficina de tecelagem da Bauhaus na escadaria do prédio da Bauhaus de Dessau em 1927.

Evento, aqui. Entrada livre.

TER, 16 ABR, 18h // Feminismos Emergentes

Na próxima 3.ª feira , 16 de Abril pelas 18h00 teremos no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, Alcântara, acolherá uma tertúlia com jovens activistas feministas de diferentes quadrantes emancipatórios.

Esperamos que este encontro seja o primeiro de uma série, para a conhecer melhor a vitalidade dos actuais movimentos feministas.

feminismos emergentes-4Entrada livre.

SÁB, 23 MAR, 15h00 // Encontro com Trabalhadoras Domésticas e de Limpeza

No próximo Sábado, 23 de Março às 15h, a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta organiza no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, mais uma sessão do ciclo “Múltiplas Discriminações II” dedicada à problemática das trabalhadoras domésticas e da limpeza.
Contará com a participação do investigador Manuel Abrantes e destas profissionais, como Esmeralda Mateus, Margarida Coelho e Cláudia Canto, autora brasileira do livro “Morte às Vassouras”, que intervirá por skype.

Trabalhadoras domésticas e de limpeza
Entrada livre.

Evento, aqui.

Uma iniciativa do projecto da UMAR “Memória e Feminismos: Múltiplas Discriminações II” com o apoio da pequena subvenção da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

SÁB, 16 MAR, 15h30 // Masculinidades cuidadoras – uma revolução necessária?

Este ano, em celebração do Dia do Pai, a Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto (APDMGP) em parceria com a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, propõe um encontro sob o tema ‘Masculinidades cuidadoras – uma revolução necessária?’.

Uma sessão de reflexão e debate, considerando a necessidade da libertação dos homens dos estereótipos que os condicionam e limitam a sua liberdade individual e o estabelecimento de relações igualitárias entre os géneros.

A entrada é livre, mediante inscrição, em: https://goo.gl/forms/e292WIqGpvdDdPuh1 

Será servido um lanche após o debate. Lugares limitados.                                                                  52716945_2288803178071648_2774566323668123648_n
ORADORA
Susana Atalaia é investigadora no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-ULisboa) e membro do Observatório das Famílias e das Políticas de Família (OFAP). É doutorada em Ciências Sociais, especialidade Sociologia Geral, pelo ICS-ULisboa (2012), com uma tese sobre a parentalidade em contexto de recomposição familiar, onde analisa o lugar do padrasto.  Entre 2014 e 2016 participou no projecto “Men’s Roles in a Gender Equality Perspective”, financiado pela EEA Grants e promovido pela CITE.            É co-autora do LIVRO BRANCO Homens e Igualdade de Género em Portugal (2016) e do capítulo de livro “Why are caring masculinities so difficult to achieve? Reflections on men and gender equality in Portugal” (2018).

PAINEL DE DEBATE

Susana Atalaia – socióloga e investigadora (biografia acima).

Nuno Pires – pai a tempo inteiro, co-facilitador dos Positive Birth Movement Penafiel e Porto e associado efectivo da APDMGP.

Ricardo Loureiro – sociólogo no Observatório Europeu das Prisões/ISCTE-IUL e Técnico Superior no POISE. Com intervenção profissional, associativa e activista em questões de igualdade de género, não discriminação e direitos humanos.

Moderação: Isabel Valente, associada fundadora da APDMGP.

                                                                    

PROGRAMA
15:30 – 15:40 Boas-vindas
15:40 – 16:25 Intervenção de Susana Atalaia
16:25 – 17:10 Painel de debate
17:10 – 17:30 Lanche

Evento, aqui

 

O CCIF/UMAR Fora de Portas! Sessão Assédio Sexual na Biblioteca Ana de Castro Osório

Na próxima 5.ª feira, 28 de Fevereiro às 18h00 na Biblioteca Ana de Castro Osório, inserida na Biblioteca Municipal de Belém (Rua da Junqueira, 295 – Lisboa) o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR), no âmbito desta parceria, organizará uma sessão sobre assédio sexual.

Participarão duas dirigentes da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, Ana Beatriz Rodrigues e Joana Sales, que intervirão sobre a problemática do assédio sexual e o papel de movimentos feministas para a desocultação e combate a este flagelo.

Ana Beatriz Rodrigues, de Coimbra, é bióloga e activista feminista no núcleo da UMAR em Coimbra. É uma das autoras do Estudo Preliminar da UMAR contra o Assédio Sexual em Contexto Académico, divulgado em 2018.

Joana Sales, coordenadora do CCIF/UMAR tem desenvolvido activismo feminista nesta área, tendo sido técnica no projecto da UMAR “Assédio Sexual. Quebrar Invisibilidades. Construir uma Cultura de Prevenção e Intervenção”.

assedio sexual

A moderação estará a cargo da mestranda no ISCTE-IUL Sara Lee Almeida.

Evento, aqui.

Entrada livre.

SÁB, 2 MAR, 14h30 // Múltiplas Discriminações: Mulheres Negras e Afrodescendentes

No próximo Sábado, 2 de Março às 14h30, organizaremos a sessão Mulheres Negras e Afrodescendentes no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) com as activistas feministas negras: Joacine Katar Moreira, Lúcia Furtado, Maria Fernandes e Shenia Karlsson. Moderação por Maria Dovigo da UMAR.

MÚltiplas discriminações_mulheres negras

Esta sessão decorre no âmbito do projecto da UMAR “Memória e Feminismos: Múltiplas Discriminações II” com o apoio da pequena subvenção da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Entrada livre.

QUI, 21 Fev, 18h // Lançamento do livro “Seminário Múltiplas Discriminações”

Na próxima 5.ª feira, 21 de Fevereiro pelas 18h00 a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta lançará em Lisboa, no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR), a publicação “Seminário Múltiplas Discriminações”.

Este livro reúne textos escritos por activistas, representantes associativas e investigadoras/es na área das múltiplas discriminações e interseccionalidades, recolhidos no decurso do projecto da UMAR, Memória e Feminismos: Múltiplas Discriminações, desenvolvido em 2018.

A apresentação estará a cargo da Presidente da CIG – Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Teresa Fragoso, entidade que financia este projecto.

Apresentação Livro Múltiplas Discriminações 21022019

Entrada livre!