SEX, 21 SET 17h00 // Género e Memória Política. Uma Experiência na Croácia

Na próxima sexta-feira, 21 de Setembro às 17h00 teremos no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa (Alcântara) a sessão Género e Memória Política. Uma Experiência na Croácia”.

Esta sessão debruçar-se-á sobre a parceria e participação da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta no Campo Internacional de Verão, decorrido na Croácia de 18 a 31 de Agosto 2018, do projecto europeu “Venues of Victims. Venues of Perpetrators. Mapping, Decoding & Processing the Role of Historical-Civic Education in (European) Youth Work*”, sob coordenação da fundação alemã Europäische Jugendbildungs- und Jugendbegegnungsstätte Weimar – EJBW.

Joana Sales coordenadora da parceria portuguesa da UMAR, Carolina Moreira líder juvenil e as quatro jovens participantes relatarão e analisarão aspectos fulcrais desta experiência à luz da memória histórica contemporânea da Croácia (II Guerra Mundial, Socialismo de Estado, Guerra da Jugoslávia) numa perspectiva feminista e dos Direitos Humanos, e em articulação com os desafios políticos da actualidade.

41873196_10156254099909760_3880716944386555904_n

Entrada livre.

*Este projecto é financiado pelo Programa Erasmus + YOUTH IN ACTION, com o apoio de German Federal Agency for Civic Education (BpB) e Federal Government Commissioner for Culture and the Media (BKM).

 

 

Anúncios

QUA, 19 SET 18h30 // Homenagem da UMAR a Elsa de Noronha

No dia 19 de Setembro pelas 18h30 terá lugar no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) uma sessão de homenagem à poeta, feminista e associada de longa data da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, Elsa de Noronha.

Nascida em Moçambique, dedicou grande parte da sua vida à poesia sem nunca esquecer o activismo e as causas feministas.

A Elsa de Noronha e um conjunto de pessoas amigas proporcionarão às/aos presentes um momento especial neste fim de tarde.

 

cartaz Elsa de Noronha

Partilhamos aqui um vídeo de actuação de Elsa de Noronha a declamar poesia moçambicana durante a apresentação do livro “Lourenço Marques – Acerto de contas com o passado”, de Nuno Roque da Silveira, no Café Império em Lisboa: https://www.youtube.com/watch?v=1sZH_Om2Zec

Entrada livre. Evento.

 

Dias 5 e 6 Agosto no CCIF/UMAR // Eventos inéditos de ALOK em Portugal !!!

O Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) e o Colectivo de artes performativas Mãos de Cura, composto por artistas trans e de género diverso afrodescendentes, Brasileirxs e do Médio Oriente que encerraram recentemente a 19ª Marcha do Orgulho lgbti+ de Lisboa – têm o prazer de anunciar a realização de três eventos inéditos no CCIF/UMAR de ALOK!

  • DOMINGO, 5 de AGOSTO, 17h00 | Beyond Gender

  • SEGUNDA, 6 de AGOSTO, 15h00 | Feelings: A Workshop on Emotional Justice

  • SEGUNDA, 6 de AGOSTO, 20h00 | Femme in Public

ALOK (pronomes: Eli/Deli) é artista performative, escritore e educadore, de género não-conformista. O seu estilo ecléctico, comédia política e desafio poético ao binário de género são internacionalmente aclamados. Alok foi recentemente a pessoa mais jovem premiada com o prestigioso Live Works Performance Act Award, prémio atribuído a 10 artistas performatives do mundo inteiro. O trabalho de Alok foi divulgado pela HBO, MTV, National Geographic, The Guardian e outros media.

Na sua estreia em Portugal, Alok Vaid-Menon, apresentade por Mãos de Cura, traz dois workshops e uma performance essenciais ao Centro de Cultura e Intervenção Feminista CCIF/UMAR.

alok_redes_sociais


 

INSCRIÇÕES OBRIGATÓRIAS PARA: coletivomaosdecura@gmail.com                                Número máximo de participantes por workshop: 30 pessoas

BEYOND GENDER / Para Além do Género 
DOMINGO, 5 Agosto às 17h00
Centro de Cultura e Intervenção Feminista CCIF/UMAR

Contribuições recentes de ativistas e académicxs não-bináries e de género diverso contestaram fundamentalmente os pressupostos base das políticas gay e feministas. O nosso objetivo é simplesmente adquirir direitos iguais para as mulheres ou é desafiar, antes de mais, a própria categoria de ‘mulher’ e ‘homem’?. O nosso problema é referirem-se a nós pelos pronomes de género errados ou é, antes de mais, a própria atribuição de um género? Neste workshop interativo seguimos uma abordagem interseccional e transfeminista para nos movermos para além de binários de género e melhor compreender as raízes da violência de género.

FEELINGS: A WORKSHOP ON EMOTIONAL JUSTICE / Sentimentos: Um Workshop de Justiça Emocional
SEGUNDA, 6 Agosto às 15h00

Quantes de nós já usaram teoria para legitimar os nossos sentimentos? Quantas palavras caras desenvolvemos para não termos que dizer, “Tenho medo?” O que acontece quando reconhecemos que sentimentos são válidos por si só? Neste workshop abordamos inveja, solidão, mágoa, amor, anseio, e todas as partes de nós que são muitas vezes postas de parte e desvalorizadas. Juntes desenvolvemos linguagem, estruturas, e estratégias de justiça emocional.

PERFORMANCE 
€20 | Bilhetes: https://tinyurl.com/y9hwwldn

FEMME IN PUBLIC / Femme em Público
SEGUNDA, 6 de Agosto às 20h00

Que parte feminina de ti tiveste que destruir para sobreviver neste mundo? Em que momento a feminilidade se torna sinónimo de pedir desculpa? Quem feriu as pessoas que te feriram? Alok Vaid-Menon está a tentar perceber tudo isto. Junta-te a eli para uma noite de poesia, comédia stand-up, drag e mais em que o público é levado numa montanha-russa de emoções do pessoal ao político.

ACESSIBILIDADE:
Os WC são livres (sem género).
Os workshops têm tradução direta.
A performance inclui legendas em Português.

EVENTO, aqui

QUA, 25 JUL 18h00 // Violência de Género na Gravidez, Parto e Criação

Esta conferência “Violência de Género na Gravidez, Parto e Criação” realiza-se em no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) numa parceria com o Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (CIES-IUL) e a Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto.

A convidada é Serena Brigidi, antropóloga e activista com um longo e rico trajecto no âmbito das questões de género na gravidez, parto e criação. Imperdível para quem se interessa pela perspectiva de género e feminista nestas fases do ciclo de vida das mulheres e sobre a violência obstétrica como forma de violência de género.

37627840_2139029953048972_5437563149471449088_n

A sessão proporcionará algumas reflexões em torno das áreas e estruturas da violência obstétrica: quem são os/as sujeitos/as envolvidos/as; como se desenvolve e como, nas nossas sociedades, o processo de socialização determina uma representação violenta do parto.

Serena Brigidi é doutorada em Antropologia Médica, investigadora e docente na Facultat de Ciències de la Salut i Benestar de la Universitat de Vic e na Universitat Rovira i Virgili, trabalha sobre temas de género e saúde no contexto da gravidez, parto e cuidado das crianças. É co-fundadora do MATER – observatório das maternidades e paternidades contemporâneas, sócia de DONA LLUM – associação catalã para um parto respeitado e co-coordenadora do OVO – observatório da violência obstétrica de Espanha.

Para saber mais sobre Serena, consulte https://www.linkedin.com/in/serenabrigidi/

SEX, 20 Julho, 17h00 // HerStory: a história esquecida das “comfort women” na Coreia Sul

Sessão no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) com a activista feminista sul-coreana Sangwan Han que irá apresentar e comentar excertos dos recentes documentários sul-coreanos (legendados em inglês) “Apology”(2016) and “Herstory”(2018) sobre a violência sexual ocorrida na Coreia ocupada durante a II Grande Guerra Mundial. Seguir-se-á um debate sobre a situação actual destas sobreviventes.

Coreia do Sul

A convidada fará uma perspectiva histórica destes crimes de guerra perpetuados pela ocupação japonesa durante a II Guerra Mundial às mulheres da Coreia do Sul e de outros países da região, bem como uma contextualização dos direitos humanos das mulheres na Coreia do Sul e no Extremo Oriente actual.

Trailer oficial do documentário “Apology” (2016) da realizadora Tiffany Hsiung: https://www.youtube.com/watch?v=iIW-4YVmCjQ

Trailer oficial do documentário “Her Story” (2018): https://www.youtube.com/watch?v=ffFgAMA0Ju0

Evento no facebook. Entrada livre.

QUA, 1 Agosto, 19h00 // Pré-Lançamento em Portugal do documentário brasileiro PRIVILÉGIOS

Iniciaremos o mês de Agosto no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) com a estreia nacional do documentário brasileiro “Privilégios” que aborda questões relevantes sobre os privilégios existentes na sociedade e traz uma chamada para a reflexão de temas que abrangem as relações vinculadas às dinâmicas de género, raça e classe.

Seguir-se-á um debate com a participação da realizadora Rosa Miranda.

Privilégios 01082018

Entrada livre.

Evento, aqui.

QUI, 05 JUL, 18h // À Conversa com… Luísa Teotónio Pereira

No dia 5 de Julho, teremos no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR), mais uma sessão do ciclo “À Conversa com…”, desta vez com a ex-dirigente do CIDAC – Centro de Intervenção para o Desenvolvimento Amílcar Cabral e actualmente directora da rede europeia Global Education Network Europe (GENE) à roda de práticas de cidadania e dos ideais que lhe dão sentido. A facilitadora da tertúlia será Cristina Cruz, do CIDAC.

Luísa Teotónio Pereira 2

Entrada livre.

TER, 3 JUL, 17-22h // SARAU DO FIM DO MUNDO – Música, Poesia, Performance, Instalações, Feira de Arte, Roupa, Acessórios, Gastronomia Brasileira e Turca…

EVENTO ESPECIAL – SARAU DO FIM DO MUNDO!

Esta 3.ª feira, 3 de Julho a partir das 17h00 (Recepção às 17h, início às 18h, término às 22h, entrada franca) no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR): Sarau do Fim do Mundo, pelo Colectivo Mãos de Cura!!!

Um evento único para celebrar e honrar a feminilidade e não-conformidade ao binário de género!

Juntes festejamos com música, poesia, performance, instalações, feira de arte, roupa e acessórios, e gastronomia Brasileira e Turca (com opções vegan e bebidas não-alcoólicas)!

36340012_2075361652679803_3254966898286133248_n

COM A PARTICIPAÇÃO ARTÍSTICA DE:

– Luana Júlia, Poeta, Atriz, Performer

– Darsy Art, Ilustração, Instalação

– Guilherme Henriques, Poeta, Ator, Performer

– Rex Timuroğlu – Maquilhador, Ilustrador, Performer

– John Kalagary – Intérprete, Performer, Escritora

– Waquilla Correia Negro – Diretora de Espetáculos, Atriz, Cantora, Escritora

COM A COLABORAÇÃO DE:

– Lolo Arziki, com uma proposta de moda sustentável.

– Bia Leonel, com Neith, marca especializada em colares de tecidos africanos e materiais reciclados.(https://www.instagram.com/neith_tecelagem).

– Maria Bruxxxa com Performance.

 

Evento, aqui. Contamos convosco!

DOM, 1 Julho 17h-21h // PROGRAMA da FEIRA FEMINISTA QUEER ZINES R’US do Festival Rama em Flor 2018, no CCIF/UMAR

Rama em Flor

Este Domingo, 1 de Julho entre as 17h e as 21h, a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, parceira da 2.ª edição do Rama em Flor – Festival Feminista Queer, co-organizar acolhe no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) a FEIRA de ZINES R’US de Ilustração, Edições Independentes e Arte DIY !!!

Esta Feira Feminsita Queer de Fanzines tem o intuito de dar espaço a edições independentes de artistas/ editoras LGBTQ+, não binárias de índole feminista.

36281514_253758711845894_4351056867351330816_n

~~~PROGRAMA CULTURAL~~~

18h00: APRESENTAÇÃO DA TRADUÇÃO DO CLÁSSICO “STONE BUTCH BLUES” DE LESLIE FEINBERG EDITADO PELA MELÃO BRANDO:        

Inês Fernandes, Joana Matias e Joana Tomé trabalharam juntas para criar a primeira tradução portuguesa dos primeiros capítulos do clássico lésbico e transgénero Stone Butch Blues. Obra maior dx pioneirx das lutas trans*, queer, e trabalhadoras, Leslie Feinberg, Stone Butch Blues é romance, documento histórico da cultura lésbica dos anos 50 nos Estados Unidos, e grito de revolta contra a lesbofobia, a transfobia, o anti-semitismo. A apresentação consistirá de uma breve explicação do projecto, seguida da leitura do primeiro capítulo.

Stone Butch Blues

Durante a ZINES R’US: OFICINA DE MINI-ZINES “MULHERES DE BORRACHA” PELO COLECTIVO BICHOFEO               

Nas últimas feiras que o Coletivo Bichofeo participou (Free Comic Book Day @ Mundo Fantasma e Atelier 3/3 e Sábado Feira @ Maus Hábitos) houve uma mini-edição da zine Mulher(es) de Borracha, feita pelo público da feira.

A zine foi criada a partir dos carimbos remanescentes da oficina homônima de Gabriela César com a finalidade de discutir a representação gráfica da mulher no desenho através de carimbos. Aos colaboradores/as foi pedido que respondessem por meio de desenho à pergunta: “Em um desenho, que faz da mulher… uma mulher?”. Os resultados foram mini-zines formato A6 que cada pessoa levou para casa consigo gratuitamente!

36466973_256454198243012_6225068617491283968_n

19h00: EXIBIÇÃO DO DOCUMENTÁRIO “PORTRAITS” REALIZADO PELO COLECTIVO Las Piteadas, SEGUIDA DE CONVERSA COM O PÚBLICO:   

Portraits regista uma viagem entre Índia e Portugal. Narrada por vozes femininas, é uma descrição dos lugares através das suas experiências. Uma viagem à consciência de diferentes realidades e o abrir de portas da arte nómada a uma perspectiva feminista.

 

36403809_256460241575741_5887878719426527232_n

~~~ ARTISTAS/ BANCAS:             

Andreia Coutinho – Ilustração
Bárbara Lopes Instagram.com/barbaralopesillustration
Bean instagram.com/li.prouvaire
Clara Busin / Gorros Feministas
Coletivo Bicho Feo coletivobichofeo.tumblr.com
Cuntroll Zine
Fanzines E Martelos
Festival Feminista de Lisboa
Flor de Ceres Rabaçal behance.net/deceres
ILGA Portugal
Las Piteadas
Laura Calado instagram.com/ugleigals
Mariana Pita tartaruga-nos-alpes.tumblr.com
Melão Brando melaobrandodistro.tictail.com
Pikii Dylluan – Illustrator
Rita Romeiras instagram.com/ritacomedida
Sapata Press
UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta
Your Mouth Is A Guillotine
Zinistras

ENTRADA LIVRE!!

 

DOM, 1 Julho 17h-21h // FEIRA ZINES R’US do Rama em Flor – Festival Comunitário Feminista Queer no CCIF/UMAR

No próximo Domingo, 1 de Julho entre as 17h e as 21h, a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, enquanto parceira da 2.ª edição do Rama em Flor – Festival Feminista Queer, terá a honra de co-organizar e de acolher no nosso Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) a FEIRA de ZINES R’US de Ilustração, Edições Independentes e Arte DIY !!!

Esta Feira de Fanzines,  iniciativa do Rama em Flor – 2018, é feita em colaboração com o Festival Feminista de Lisboa e a UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, com o intuito de dar espaço a edições independentes de artistas/ editoras LGBTQ+, não binárias de índole feminista.

36281514_253758711845894_4351056867351330816_n

~~~ ARTISTAS/ BANCAS:

Andreia Coutinho – Ilustração
Bárbara Lopes Instagram.com/barbaralopesillustration
Bean instagram.com/li.prouvaire
Clara Busin / Gorros Feministas
Coletivo Bicho Feo coletivobichofeo.tumblr.com
Cuntroll Zine
Fanzines E Martelos
Festival Feminista de Lisboa
Flor de Ceres Rabaçal behance.net/deceres
ILGA Portugal
Las Piteadas
Laura Calado instagram.com/ugleigals
Mariana Pita tartaruga-nos-alpes.tumblr.com
Melão Brando melaobrandodistro.tictail.com
Pikii Dylluan – Illustrator
Rita Romeiras instagram.com/ritacomedida
Sapata Press
UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta
Your Mouth Is A Guillotine
Zinistras

~~~ ACTIVIDADES:
18:00h ~ Stone Butch Blues – uma tradução ~

Inês Fernandes, Joana Matias e Joana Tomé trabalharam juntas para criar a primeira tradução portuguesa dos primeiros capítulos do clássico lésbico e transgénero Stone Butch Blues. Obra maior dx pioneirx das lutas trans*, queer, e trabalhadoras, Leslie Feinberg, Stone Butch Blues é romance, documento histórico da cultura lésbica dos anos 50 nos Estados Unidos, e grito de revolta contra a lesbofobia, a transfobia, o anti-semitismo. A apresentação consistirá de uma breve explicação do projecto, seguida da leitura do primeiro capítulo.

19:00h ~ Mini Documentário: Portraits por Las Piteadas ~

Portraits regista uma viagem entre Índia e Portugal. Narrada por vozes femininas, é uma descrição dos lugares através das suas experiências. Uma viagem à consciência de diferentes realidades e o abrir de portas da arte nómada a uma perspectiva feminista.

ENTRADA LIVRE!!!