QUI, 30 JUN 18H30 // Quando a violência (quase) não se vê: o contexto familiar e social

Esta 5.ª feira 30 de Junho às 18h30, teremos a próxima conferência (online) do Ciclo Violências dinamizado em parceria pela Biblioteca de Alcântara e o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) com o tema “Quando a violência (quase) não se vê: o contexto familiar e social”, com Carolina Moreira, activista feminista, dirigente da UMAR e Técnica de Intervenção Social.

Dia 30 de Junho 18h30, via online: Quando a violência (quase) não se vê: o contexto familiar e social

Esta sessão decorrerá via online, nesta ligação da plataforma Zoom.

Contamos com a vossa participação e/ou divulgação!

TER, 28 JUN 18h30 // Leituras Partilhadas temáticas  

Na próxima 3.ª feira 28 de Junho pelas 18h30, assinalaremos no CCIF/UMAR, o encerramento da exposição ‘Império do Medo. Escravatura e Tráfico Negreiro’ com uma edição especial do ciclo Leituras Partilhadas, dedicada ao cruzamento do género com as temáticas da escravatura, colonialismo e racismo. Será a quarta e última actividade cultural alusiva a esta exposição.

Após a sessão de inauguração da exposição no dia 9 de Junho por Isabel do Carmo, uma das comissárias, e de duas conferências com autoras africanas e afrodescendentes nos dias 14 e 23 – as escritoras Nuna, Kátia Casimiro e Sandra Baldé, sem esquecer Lala Berekai na ilustração – nada melhor do que concluir esta programação cultural alusiva com uma tertúlia feminista que reflicta estas problemáticas sob uma lente crítica de género e pós-colonial.

  • Entrada livre.
  • Mais informações. no seguinte e-mail.

Até 28 de Junho // Exposição ‘Império do Medo’ no CCIF/UMAR  

Últimos dias para visitar a exposição ‘Império do Medo. Escravatura e Tráfico Negreiro’ que está em exibição no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, Alcântara. Com a curadoria de Ana Maria Calçada e comissariada por Alfredo Caldeira, Fátima Sá, Isabel do Carmo, Patrícia Alves, Paula Cabeçadas e Raquel Santos, esta pode ainda ser visitada, gratuitamente, nos seguintes dias: 

  • 27 e 28 de Junho 2022, das 11h às 13h e das 14h às 18h

Esta exposição, tal como consta na sinopse, procura dar “um contributo sobre factos e circunstâncias: a ESCRAVATURA e o percurso na sua abolição em Portugal e no mundo”.

A mostra, rememora “o tráfico negreiro, a sua violência e circunstâncias, mas também a luta porfiada das vítimas e de quantos se lhe opunham”.

Classificando a Escravatura como um “verdadeiro império do medo”, a exposição recorda que cerca de 12,5 milhões de africanos foram traficados para as Américas, e reflecte sobre as heranças desse passado criminoso.

“Na sequência da escravatura, seguiram-se anos de colonialismo, discriminação ou segregação, que deixaram um rastro de racismo estrutural nos países que foram potências escravocratas e/ou colonizadoras”.

Aguardamos a vossa visita!

QUI, 23 JUN 18H30 // CONTRIBUIÇÃO DA LITERATURA NA DESCONSTRUÇÃO DA LINGUAGEM COLONIAL

No âmbito da itinerância da exposição ‘Império do Medo – Escravatura e Tráfico Negreiro’ no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, Alcântara, entre 9 e 28 de Junho, está a ser paralelamente desenvolvida uma programação cultural alusiva, com entrada gratuita.

Após a inauguração da exposição (09/06) e da sessão cultural de apresentação do livro “Aventureira Marielle e o Dia da Fotografia” de Nuna (14/06), teremos ainda 2 sessões culturais no CCIF/UMAR para as quais vos convidamos:

– 5.ª feira 23 de Junho às 18h30:
Sessão CONTRIBUIÇÃO DA LITERATURA NA DESCONSTRUÇÃO DA LINGUAGEM COLONIAL, com as escritoras Kátia Casimiro e Sandra Baldé.

Kátia Casimiro, nasceu em 1979 na Guiné-Bissau. É autora e participante na 88.ª, 90.ª e 91.ª Feira do Livro de Lisboa, com a obra infanto-juvenil “Íris e o Jogo das Cores” da Chiado Books. Foi com esta obra que foi galardoada com o Prémio Dama de Ferro – Literatura, Guiné-Bissau 2020.

Sandra Baldé, escritora, dj, gestora de conteúdos dos canais Instagram e YouTube Uma Africana , é autora do livro “Para que Fique Bem Escurecido’.

A entrada gratuita nesta e em todas as actividades é gratuita, como nas entradas para a exposição:
– Dias úteis até 28 de Junho: das 11h às 13h e das 14h às 17h
– Sábados 11, 18 e 25 Junho: das 15h às 18h

* A Comissão da exposição ‘Império do Medo – Escravatura e Tráfico Negreiro’ é composta por Alfredo Caldeira, Fátima Sá, Isabel do Carmo, Patrícia Alves, Paula Cabeçadas e Raquel Santos. Curadoria de Ana Maria Calçada.

Contactos CCIF/UMAR:
Rua da Cozinha Económica, Bloco D 30M-N 1300-149 Lisboa | Telef. 218 873 005

TER, 14 JUN 18h30 // Apresentação do livro Aventureira Marielle e o Dia da Fotografia

Esta 3.ª feira às 18h30 será apresentado no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Alcântara, Lisboa o livro Aventureira Marielle e o Dia da Fotografia de Nuna com ilustrações de Lala Berekai.

É o primeiro livro infantil escrito por uma autora negra, com uma personagem principal negra portuguesa. Um livro delicioso sobre amor-próprio, tolerância, inclusividade e orgulho.

Recomendado a partir dos 4 anos, esta publicação da editora Nuvem de Letras em Março 2022, já se encontra esgotada em muitas livrarias.

Sinopse: «Até àquele momento, sempre pensara que os seus pompons lhe ficavam muito bem. A mãe e o pai queixavam-se dos buracos que a Marielle fazia na roupa quando jogava à bola, mas diziam que ela tinha o cabelo mais lindo da família.» Marielle é uma menina orgulhosa do seu afro, até ao dia em que alguém lhe diz que, para o dia da fotografia na escola, tem de pôr o cabelo lindo e arranjado.

A autora, Nuna, é activista interseccional e artista multidisciplinar. O seu trabalho como activista é informado pelo seu revisionismo histórico e social, onde pretende ajudar a desconstruir normativas segregacionais revendo as narrativas e factos históricos pré-estabelecidos através de um trabalho interseccional. Artisticamente, o seu trabalho tem por base o Afrofuturismo e criações multidisciplinares representativas, empoderadas, diversificadas e inclusivas, acreditando que o presente é a materialização do futuro equitário para todes.

  • Saber mais sobre o livro, nestes artigos da TimeOut e da plataforma Dezanove.

Entrada livre!

Este evento está inserido na programação cultural alusiva à permanência da exposição “Império do Medo” no CCIF/UMAR de 9 a 28 de Junho de 2022.

Horário para visita (gratuita) à exposição: Dias úteis até 28 de Junho, 11h-13h e 14h-17h | Sábados, 11, 18 e 25 de Junho, 15h-18h

QUI, 9 JUN 18h30 // Inauguração da Exposição “Império do Medo – Escravatura e Tráfico Negreiro”

A UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta convida para a inauguração da exposição “Império do Medo – Escravatura e Tráfico Negreiro” na próxima 5.ª feira 9 de Junho pelas 18h30, no Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, Alcântara.

Com curadoria de Ana Maria Calçada e com uma Comissão integrada por Alfredo Caldeira, Fátima Sá, Isabel do Carmo, Patrícia Alves, Paula Cabeçadas e Raquel Santos, a exposição Império do Medo conta com um percurso de itinerância pelo país desde 2019.

A itinerância desta exposição no CCIF/UMAR, ficará patente de 9 a 28 de Junho 2022 e será pontuada com um programa cultural alusivo a divulgar oportunamente.

As entradas para a exposição são gratuitas. Poderá ser visitada no seguinte horário:

▪️ Dias úteis, entre 9 e 28 e Junho: das 11h às 13h e das 14h às 17h

▪️ Sábados 11, 18 e 25 de Junho: das 15h às 18h

Localização do CCIF/UMAR: Rua da Cozinha Económica Bloco D 30M-N Alcântara, Lisboa | Telef. 218 873 005

SEX, 3 JUN 18H // Leituras Partilhadas Online

Esta 6.ª feira, 3 de Junho às 18h, dinamizaremos mais uma tertúlia (online) do ciclo de leitura feminista “Leituras Partilhadas”.

Uma iniciativa contínua do Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) desde Setembro de 2019.

Os textos a apresentar poderão ser literários, jornalísticos, ensaísticos, políticos, correspondência, entre outros…

O importante é que seja uma leitura cuja reflexão nos toque do ponto de vista feminista.

Inscrições gratuitas para o e-mail: centroculturafeminista@gmail.com

Boas leituras!

SÁB, 21 MAIO, 9H45 – 17H // Assembleia Regional Lisboa e Vale do Tejo da Rede ANIMAR

A UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, associação parceria da rede ANIMAR será a associação anfitriã da Assembleia MANIFesta Regional Lisboa e Vale do Tejo que decorrerá no próximo Sábado 21 de Maio de 2022, pelas 09h45, nas instalações do Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) em Lisboa, Alcântara.

Ver a programação no cartaz, infra:

Mais informação, aqui.
Inscrições, aqui.

QUI, 19 MAI 18h30 // Violência de Género no Trabalho | Biblioteca de Alcântara

Na próxima 5.ª feira 19 de Maio às 18h30, o Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR) estará novamente Fora de Portas, para mais uma sessão do ciclo VIOLÊNCIAS promovido em parceria com a Biblioteca Municipal de Alcântara, em Lisboa.

Será a terceira sessão deste ciclo mensal, intitulada: Quando a violência (quase) não se vê: o contexto laboral, que abordará as problemáticas das violências de género no trabalho, com foco no assédio sexual. A convidada será Tatiana Morais, jurista e doutoranda na Nova School of Law.

Entrada livre sujeita à lotação da sala.

Endereço: Rua José Dias Coelho, 29 Alcântara, Lisboa (próximo do Largo do Calvário).

CCIF/UMAR Fora de Portas | TER, 17 MAI 10H: Participação no CLIT Film Festival em Setúbal

Na próxima 3.ª feira 17 de Maio de manhã, Joana Sales pelo Centro de Cultura e Intervenção Feminista (CCIF/UMAR), participará no Festival CLIT – Cinema em Locais Inusitados e Temporários promovido pelo Festroia – Festival Internacional de Cinema de Setúbal, na sessão Ativa-te! – Abusos, que terá lugar no Auditório Nobre do Instituto Politécnico de Setúbal.

Com início às 10h, serão visualizadas 5 Curtas estrangeiras, em estreia nacional ou internacional, com a presença da realizadora Bianca Iatallese e de Giovanna Sayuri e Vitória Alarcon (do filme De mãos atadas), seguido de debate.

Informação sobre as curtas a serem visualizadas e debatidas:

De mãos atadas | Brasil, 2021 | Estreia nacional | Sinopse: Carol repara que a relação de Paula com Luís está cada vez menos saudável. Uma discussão acaba por expor a violência quotidiana.

Um momento de verdade | Egipto, 2021 | Estreia mundial | Sinopse: Numa sociedade patriarcal, como pode uma mulher ser fiel a si mesma, ainda que por um momento?

A matilha | França, 2021 | Estreia nacional | Sinopse: Vítima de assédio, Marion decide fazer queixa na polícia. Porém, nem tudo corre como devia.

Fuga | Alemanha, 2021 | Estreia Internacional | Sinopse: Ben oculta as suas tendências pedófilas e, por receio, distancia-se da família. Numa viagem de carro, conhece por acidente Mia, uma jovem que foi alvo de abusos frequentes em criança.

Dia do Professor | Ucrânia, 2021 | Sinopse: Duas mulheres atraem um professor que abusou delas em crianças para uma armadilha. Querem filmá-lo a confessar os seus crimes. Quando ele tem um ataque cardíaco, ficam num dilema: salvá-lo ou deixá-lo morrer.

Programa completo do Festival: https://tinyurl.com/CLIT-2022

A entrada para este evento, no Auditório Nobre do Instituto Politécnico de Setúbal é livre.